Como viver bem e buscar a felicidade na Terra – por Luiz Cláudio Nascimento

“Nossos destinos são idênticos. Não há privilegiados nem deserdados.

Todos percorrem a mesma vasta carreira e, através de mil obstáculos, todos são chamados a realizar os mesmos fins.” Léon Denis, Depois da Morte, Cap.12.

Grande parte da humanidade de ambos os planos da vida, busca e almeja a tão falada felicidade, sendo que o ser humano não se dá conta de um dos grandes problemas da atualidade que na antiguidade o filósofo já nos deu um caminho, quando nos diz que não nos conhecemos; pois é, o homem moderno ainda não percebeu que ignora a si mesmo e devido a isso, busca a felicidade justamente onde não se deve procurar.

Grande parte dos seres, ainda nessa época, confunde felicidade com facilidade, lançando mão a uma série de caminhos que normalmente o leva para a derrocada; pouco ser pode classificar os poetas, religiosos, muitos escritores que já estão longe do materialismo, sentem que não são somente um corpo a habitar um planeta, muitos, verdadeiros iniciados já estão despertos para outra realidade de vida graças às religiões e o pensamento espiritualista.

Léon Denis em sua obra Depois da morte, no capítulo A Crise Moral, vem a dizer-nos em concordância com o filósofo da antiguidade que o ser humano ainda ignora sua realidade, seu verdadeiro “eu”, limitando-se ao que se encontra somente em seu documento de identidade, quando é questionado sobre quem é.

Todo ser ao encarnar num planeta precisa estar ciente de que faz parte de um programa, de um planejamento com finalidade educativa em reformar, corrigir, resgatar, construir, transformar, transcender-se através de todo um aprendizado; a chamada reforma íntima, bastante divulgada no meio espírita, precisa ser retirada do papel e das páginas para ser aplicada de maneira correta, ou seja, sair do teoricamente e se debruçar no praticamente, visto que as maiorias de nós, habitantes encarnados estão num regime de expiação e melhoramento, como aquele doente sendo tratado num hospital com todo um planejamento dos remédios, terapias, alimentação e etc.

Para encontrar a felicidade na Terra, um desafio dos mais grandiosos, visto que a grande “massa” ainda está equivocada em seus parâmetros, quando almeja só receber ao invés de doar, ter em detrimento do ser, ser saciado que saciar, ser amado que amar, contrariando completamente um roteiro que “grandes” avatares já nos deram desde tempos remotos.

De posse do roteiro na mão, como buscar a felicidade? Como ser feliz, como viver bem na atualidade e na posteridade? Dois caminhos, acreditamos ser infalíveis para essa finalidade, senão o autoconhecimento e conhecimento da Lei que rege o universo que já sabemos ser Amor e Justiça. Conhecendo-se o homem passar a ter ciência dos valores que precisa desenvolver, entendendo que a Lei é de amor e justiça, ele se vê como o viajante aceitando o “jugo leve”.

Todos nós somos beneficiados com o Amor de Deus, recebemos a todo o momento, somos beneficiados com a reencarnação, muitas vezes com mil obstáculos e tropeços, mas com grande carreira a seguir, eis o destino de todo ser, independente de reino ou espécie.

Anúncios

Espiritismo e vida Recomenda: Viva com Vitalidade

Imagem

Autor: Gibson Bastos

Editora: CELD

Possuir uma mente sadia e um corpo saudável é o sonho de todos. Porém, essa harmonia não resulta apenas de exercícios físicos e mentais. A medicina, baseada na descoberta da existência de uma interação química permanente entre o sistema límbico (área do cérebro responsável pelas emoções) e o sistema imunológico (responsável pela defesa do corpo), passou a considerar que as emoções interferem no corpo e vice-versa. À luz da Doutrina Espírita, o homem é um espírito imortal e se desorganiza emocionalmente quando suas atitudes e comportamentos estão em desacordo com as leis divinas. Essa desorganização repercutirá negativamente, de alguma forma, no funcionamento do seu organismo, exigindo dele paciência e esforço para recuperar o equilíbrio. Informações de como se manter saudável são propostas neste trabalho mas, além disso, ensina evitar os fatores que geram doenças e adotar os promovedores da saúde.

Orai e vigiai!

 

Imagem

Jesus ensinou a orar e vigiar, recomendou o amor e a
bondade, pregou a humanidade, mas jamais aconselhou a
viver de orações e lamúrias , santidade fingida, disfarçada
em vãs aparências de humildade, que são sempre
desmentidas pelas ambições e a arrogância incontroláveis
do homem terreno. Para restabelecemos a verdade espírita
entre nós e reconduzirmos o nosso movimento a uma
posição doutrinária digna e coerente, é preciso
compreender que a Doutrina Espírita é um chamado viril
à dignidade humana, à consciência do homem para
deveres e compromissos no plano social e no plano espiritual,
ambos conjugados em face das exigências da lei superior da
Evolução Humana. Só nos aproximaremos da Angelitude, o
plano superior da Espiritualidade, depois de nos havermos
tornado Homens.

” Do Livro: O Centro Espírita , J.Herculano Pires

Tenha sempre bons pensamentos!

Imagem

 

Tenha sempre bons pensamentos
porque os seus pensamentos se transformam em suas palavras
Tenha boas palavras
porque as suas palavras se transformam em suas ações
Tenha boas ações
porque as suas ações se transformam em seus hábitos.
Tenha bons hábitos
porque os seus hábitos se transformam em seus valores
Tenha bons valores
porque os seu valores se transformam no seu próprio destino.

Mahatma Gandhi

De onde vem as canções?

Image

 

De onde vêm as canções? Da imaginação criadora do artista? Da inspiração superior?

De onde vêm esses hinos que se tornam universais?

É interessante ouvir histórias a respeito de algumas composições e nos darmos conta de como os Espíritos atuam sobre nós.

Bem tinham razão ao responderem ao Codificador da Doutrina Espírita que, habitualmente, são eles que nos dirigem.

A canção título do álbum de mesmo nome, Bridge over troubled water, ou seja, Ponte sobre águas revoltas, escrita por Paul Simon, se tornou um dos maiores sucessos da dupla Simon e Garfunkel, no ano 1970.

Num documentário apresentado como Making of do álbum, o compositor assim se expressou:

Eu não tenho ideia de como surgiu a canção. Veio de repente. Foi um dos momentos mais chocantes da minha carreira de letrista.

Lembro-me de pensar: isso é consideravelmente melhor do que eu costumo escrever.

Ele confessa que escreveu a canção com o intuito de proporcionar conforto a uma pessoa em dificuldade.

Mas ele mesmo achou que as letras iniciais eram muito simples: Quando você estiver exausto, sentindo-se insignificante; quando as lágrimas estiverem em seus olhos, Eu enxugarei todas elas.

Mais tarde, ele percebeu que era essa simplicidade que ajudou a dar à música um apelo universal.

Para todos os que temos sensibilidade, bem podemos entender que ele fala a respeito do Pai de amor e bondade.

A ponte que se estende sobre as águas turbulentas das nossas dificuldades, dos nossos problemas, a Providência Divina que nos alcança.

Assim como dizem os versos:

Quando você estiver exausto, sentindo-se insignificante; quando as lágrimas estiverem em seus olhos, Eu enxugarei todas elas.

Eu estou ao seu lado, quando os tempos ficarem difíceis e os amigos não mais puderem ser encontrados. Como uma ponte sobre águas revoltas, Eu me estenderei.

Quando você estiver na pior, quando você estiver na rua, quando a noite descer pesadamente, Eu o confortarei.

Eu o ajudarei quando a escuridão vier e a dor estiver por perto. Como uma ponte sobre águas revoltas, Eu aliviarei as suas preocupações.

Navegue no Garota de Prata. Continue navegando. Sua hora chegou para brilhar.

Todos os seus sonhos estão a caminho.

Veja como eles brilham. E se você precisar de um amigo, Eu estarei logo atrás.

Como uma ponte sobre águas revoltas, Eu aliviarei as suas preocupações.

*   *   *

A canção se reporta à Providência Divina, ao cuidado de Deus para com cada um de nós.

Ninguém que se encontre ao abandono. Ninguém que esteja esquecido. O amor de Deus vela sobre todos.

E nos recorda que nascemos para brilhar, para concretizar nossos melhores sonhos, para alçarmos voos de liberdade, para conquistarmos o infinito.

Sem peias, sem limites.

Pensemos nisso e em como Deus é infinitamente sábio e estabelece que o bem, as coisas positivas, as verdades sejam ditas por muitas bocas e de muitas formas.

Pelas crianças na sua inocência, pelos pintores com sua arte, pelos sábios com suas descobertas, pelos cantores com sua música.

Pensemos a respeito.

 

Redação do Momento Espírita.
Em 27.09.2012
.